Roteiro Paris

Depois de três viagens a Paris estava na altura de partilhar todo um novo roteiro não só para ajudar quem está de partida mas também para vos inspirar a marcar a vossa viagem. Dividi o roteiro pelos bairros de Paris e principais atracções, porque a meu ver é a melhor forma de organizarem a vossa viagem.

Qual a melhor altura
Pessoalmente recomendo os meses de Setembro, Outubro e início de Novembro. Antes de viajar consultem sempre as temperaturas locais. Paris é uma cidade fria quando comparada com Portugal, pelo que na mala levei sempre roupa quente e casaco de Inverno, tanto na Primavera como no Outono.

Onde ficar
Segundo a minha experiência, a melhor opção é alugar casa no centro de Paris – não só pelo conforto de ter toda a casa (que acaba por ser mais espaçoso do que um quarto de hotel) mas também pela poupança relativamente às refeições.

Nesta última viagem alugámos casa através da Homeaway, um portal de alojamento para férias que tem uma enorme oferta de casas no centro da cidade. Ficámos neste apartamento no 16º arrodissement, um bairro muito simpático e sereno junto à estação de metro La Muette (linha 9 com ligação direta ao Trocadero, Champs-Élysées e Galerias Lafayette), com supermercado e padaria a poucos passos do prédio. Marais, Ópera Garnier ou Saint Germain são outras das zonas que recomendo para procurarem casa.

Aplicações Úteis
Porque estamos na era dos smartphones recomendo que descarreguem três aplicações gratuitas que me foram bastante úteis durante as viagens:
#1 Paris Metro – mapa completo do metro de Paris
#2 Top 10 Paris – muitas dicas com o melhor de Paris
#3 RATP – a app oficial dos transportes de Paris com uma ferramenta de pesquisa muito útil para perceber como chegar a qualquer sítio usando os transportes.

Bilhetes para Museus
É possível comprar bilhetes para os museus e monumentos via internet, uma maneira de conseguirem ultrapassar filas e ganhar algum tempo durante a viagem. A boa notícia é que os menores de 25 anos (inclusive) residentes na União Europeia não pagam grande parte dos museus: Louvre, Versailles, Orsay, etc. Da minha experiência algumas filas não ultrapassaram a meia hora de espera, embora recomende que cheguem sempre cedo aos locais que pretendem visitar.

Mas para quem está pela primeira vez em Paris e pretende essencialmente visitar os principais pontos turísticos, recomendo o Paris Pass que dá acesso direto (e sem filas) a mais de 50 museus e monumentos. Existem passes para diferentes números de dias e que podem ser adquiridos online. Para além disso no primeiro domingo de cada mês alguns museus de Paris têm entrada gratuita.

Os principais Transportes
A rede de transportes de Paris é muito bem servida. O metro chega a todo o lado e tem ligações com o RER (comboio) sempre bem assinaladas.Nas minhas viagens optei por comprar o Navigo Découverte que pode ser pedido em qualquer balcão de atendimento no metro. Tem a duração de uma semana, sendo que começa obrigatoriamente à segunda-feira e termina ao domingo. E aqui chamo a atenção para o facto de ser necessário uma fotografia tipo passe que levei comigo de Portugal para não perder muito tempo. Este passe custa cerca de 27€ e permite circular livremente entre as zonas 1-5 no metro, comboio e Orlybus (o autocarro que faz a ligação Paris – Aeroporto de Orly). Para além disso, existem outras opções de passe – podem sempre informar-se nas estações sobre os mesmos e comprar nas máquinas automáticas. Os amantes de bicicleta podem alugar uma Vélib. A primeira meia hora é grátis e encontram-nas espalhadas por toda a cidade.


Em Paris, o que visitar

Através do Google Maps elaborei o meu roteiro com os principais locais a visitar, mapa esse que partilho convosco para que possam ter uma noção das distâncias. Este mapa foi essencial durante a viagem, até porque podia ser consultado através da respectiva aplicação no iPhone. Desta forma sabia rapidamente como chegar a cada local. Acrescentei aqui alguns spots, nomeadamente restaurantes e lojas, que gostaria de ter visitado e que não tive oportunidade.

#1 Champs Elysées
METRO Linha 1 Concorde 
A mais bela avenida de Paris é também uma das mais movimentadas da cidade. Por aqui encontram algumas das maiores lojas tais como a Louis Vuitton, Longchamp, Guerlain e ainda a maior Sephora que já visitei (vale muito a pena pelas marcas que não encontramos em Portugal). Percorram a avenida começando pela Place de la Concorde, passando pelo Grand e Petit Palais (do lado esquerdo) e no final aproveitem para subir ao Arco do Triunfo. Nesta avenida vale a pena também visitar a Ladurée e desfrutar de um chá quente acompanhado por um macarron.

#2 Place Madeleine e Saint Honoré
METRO Linha 12, 14 e 8 Madeleine 
A Place Madeleine é a meu ver um dos melhores locais para compras a nível gastronómico. Por lá encontram a famosa loja de chás Mariage Frères, a épicerie Fauchon, a loja do chef Patrick Roger (considerado o Rodin dos Chocolates), a Lauderée, entre muitas outras.

Se seguirem pela Rue Royale, sentido Place de la Concorde, irão cruzar-se com uma das ruas mais luxuosas e intimistas de Paris, a Rue Saint Honoré, e aqui vale a pena explorar. Uma das lojas mais cool a não perder é a Colette, onde podem encontrar um pouco de tudo – revistas e livros, artigos tech, roupa e acessórios de luxo, beleza, etc.

Mas esta rua promete muito mais, encontram os melhores perfumistas (Guerlain, Francis Kurkdjian, Jo Malone), a deliciosa chocolateria de Jean Paul Hévin (as tarteletes são do melhor que já provei) e outras lojas de referência tais como Valetino, &Other Stories, Longchamp e Furla.

Nesta zona, aproveitem também para…



Um almoço rápido pelo Prêt à Manger, que tem muitas opções de refeições saudáveis a um preço mais em conta. Depois passem pela loja Mariage Frères para comprar chá, o pacote mais pequeno custa €9.90 e a caixa com saquetas €15 – pessoalmente recomendo as variações Marco Polo e Thé à L’Opéra. Um bom presente para levarem de Paris.

#3 Galerias Lafayette e Opera Garnier
METRO Linha 9 Chaussée D’Autin / La Fayette
Uma das zonas mais nobres da cidade onde se situa a Ópera Garnier, as Galerias LaFayette e a Printemps, os melhores locais para fazer compras. Na minha última viagem visitei ainda a nova secção Gourmet – se passarem por lá aproveitem para almoçar num dos espaços ou provar o melhor da pastelaria francesa.

Não tive oportunidade de entrar na Ópera Garnier mas pelo que li por aí vale muito a pena visitar este espaço, considerado por muitos como o mais célebre salão de ópera do mundo. Pode ser visitada como qualquer monumento, não é preciso ir a um espetáculo para conhecer o interior. O bilhete custa €11 (€7 para menores de 25 anos) e está aberto todos os dias entre as 10 e as 17h. Podem adquirir os vossos bilhetes online.

#4 Tuilleries e Louvre
METRO Linha 1 Palais Royal/ Musée du Louvre

Louvre – um dos maiores e mais imponentes museus do mundo – preparem-se para passar pelo menos uma manhã por aqui (para não dizer um dia caso queiram ver tudo). As filas, mais uma vez, são enormes daí aconselhar a chegarem cedo. A entrada via metro Carrossel do Louvre pareceu-me ser mais organizada e rápida do que a entrada principal pela pirâmide. O bilhete custa 15€ e na entrada podem pedir o mapa que está disponível em português. Este museu é gratuito para menores de 25 que sejam residentes na União Europeia, basta apresentar o Cartão do Cidadão. A entrada é gratuita no primeiro domingo do mês entre Abril e Setembro. 

Não consegui visitar todo o museu, optei pela pintura francesa (onde podemos apreciar o famoso quadro de Mona Lisa), pintura holandesa, arte egípcia e aposentos de Napoleão. Quando visitarem este museu, aproveitem para passear também pela zona exterior, espreitar pelo Arco do Carroussel (que está alinhado com o Arco do Triunfo e o Arco da Defesa) e dar um passeio pelo Jardim des Tuilleries, o sítio perfeito para uma pausa.

 

Nesta zona, aproveitem também para…

Recomendo a imponente pastelaria Angelina, o sítio certo para reabastecer energias – provem os éclairs e o maravilhoso chocolate quente, o melhor que já bebi. E se tiverem oportunidade marquem pequeno-almoço ou brunch no Claus – é absolutamente delicioso, dentro do estilo francês. O sítio é pequeno mas aconchegante e o menu dispõe de menus para todos os gostos e preços. Por ser um local muito recomendado e com poucas mesas recomenda-se a reserva (com alguns dias de antecedência) através do telefone +33 142 33 55 10.

 

#5 Montmartre e Moulin Rouge
METRO Linha 12 Abbesses ou Pigalle
Trata-se do “18th Arrondissement”, um dos bairros mais conhecidos, bucólicos e consequentemente turísticos de Paris. E aqui preparem-se para subir até um dos pontos mais altos da cidade, do alto da colina junto ao à basílica do Sacré Couer têm uma das melhores vistas sobre a cidade. Vale a pena percorrer as ruas e escadas deste bairro, por isso recomendo que saiam na estação Abbesses e sigam para o topo, no sentido à basílica.

A entrada na basílica é gratuita. Se não vos apetecer descer a escadaria podem sempre apanhar o “Funicular”, um elevador que está incluído no cartão Navigo Découverte.

Neste bairro podem ainda visitar o famoso café de Amélie Poulin Deux Moulins assim como o Le Moulin de la Galette, um local outrora frequentado por impressionistas e retratado em inúmeras obras de arte por alguns dos pintores mais famosos tais como Renoir (que tem uma obra com este mesmo nome), Van Gogh e Picasso. Actualmente funciona como restaurante. É também nesta zona de Paris que se situa o Moulin Rouge (saída no metro pigalle) entre outras casas de espetáculo.

#6 Trocadero e Torre Eiffel
METRO Linha 6 ou 9 Trocadéro


Para subir à torre Eiffel recomendo (mais uma vez) ir cedo de forma a evitar filas. Os preços diferem consoante a idade e o piso que queremos aceder. Na altura paguei cerca de 13€ e tive acesso a todos os pisos via elevador mas também é possível fazê-lo de escadas. Para uma vista perfeita sobre a torre, saiam na estação Trocadéro. Visitem-na também de noite e aproveitem para fazer um passeio a pé junto às margens do sena. A cada hora certa a torre brilha durante cerca de 10 minutos.


Recomendo também o passeio de barco pelo sena, através do Parisienne Bateaux, uma maneira diferente de percorrer a cidade, conhecer as pontes e admirar os principais monumentos entre outras curiosidades que são relatadas durante a viagem. O embarque é feito junto à Torre Eiffel e o bilhete custa cerca de €12.

Perto desta zona encontram o meu museu favoritos, o Museu de Orsay. Foi um dos museus que mais gostei de visitar principalmente por reunir as mais belas obras de arte impressionistas. Aqui podem ver de perto algumas das obras mais conhecidas de artistas como Van Gogh, Degas, Monet, Manet, Gauguin, etc. No meu caso, aproveitei por ser o primeiro domingo do mês para ter entrada gratuita.

#7 Marais
METRO Linha 1 St Paul
Um dos bairro mais bonitos e animados de Paris, tanto de dia como de noite. Percorrendo as suas ruas encontramos cafés, restaurantes, diferentes lojas (muitas lojas vintage) e dois museus que considero importantes, Museu Picasso e o Pompidou – vale a pena reservarem uma tarde (ou mais) para este passeio e para percorrer as suas ruas. Ponto de passagem obrigatório, a Place des Vosgues a mais antiga e bela praça da cidade assim como o Hotel de Ville.

 

 

Nesta zona, aproveitem também para…

Dois restaurantes muito recomendados nos roteiros que li antes de viajar, mas que infelizmente não consegui visitar, por isso fica a recomendação. O Breizh Café tem a fama de ter os melhores crepes de Paris e como tal é um espaço muito concorrido e que requer reserva prévia (+33 1 42 72 13 77). Passei à porta do La Mangerie e apaixonei-me pela decoração… faltou provar, o restaurante estava fechado nesse dia mas as reviews são as melhores. Terá que ficar para uma próxima viagem.

#8 La Cité e Quartier Latin
METRO Linha 1 Hotel de Ville / linha 10 Odeón
Comecem pela Île de la Cité, uma das ilhas do rio Sena, conhecida por ser o berço e o coração de Paris. Por aqui encontramos alguns dos principais monumentos medievais da cidade: Notre Dame, Sainte Chapelle e a Conciergerie. A visita à catedral é absolutamente obrigatória, até porque a entrada é livre. Se tiverem oportunidade subam ao alto das torres não só para admirar as gárgulas (entre outras figuras que ornamentam a catedral) mas também pela vista sobre a cidade. A subida é feita pela lateral da igreja e tem um custo de €5.

Bem perto da catedral encontra-se a igreja gótica Sainte Chapelle, de uma beleza extraordinária graças aos enormes vitrais. O bilhete custa €8, a entrada é gratuita para os menores de 25 anos, cidadãos da união europeia.

E porque este passeio merece, não deixem de passar pela geladaria Berthillon – têm a fama de ser os melhores de Paris. Existem vários locais que vendem (nesta zona) mas a loja oficial é na 31 Rue Saint-Louis en l’Île, 75004 Paris.

 

Seguindo para o outro lado da margem encontramos o Quartier Latin, onde se situa o bairro Saint-German, Sorbonne, Jardin du Luxembourg e o Pantheon, pontos de paragem que devem ter em conta no vosso roteiro. Em Saint Germain destaco a grandiosa Boulevard Saint-Germain onde encontram dois cafés famosos (e muito turísticos), outrora frequentados pela elite intelectual, o Café di Fiori e o Deux Magots.

Nesta zona, aproveitem também para…

Bem perto daqui encontram a Citypharma, a melhor e mais aclamada farmácia de Paris, com uma enorme oferta de dermocosmética a preços muito apelativos (alguns a metade do preço quando comparado com Portugal). Devido à sua fama, não se admirem de a encontrar lotada, mas por experiência própria vale muito a pena enfrentar a confusão.

Passem ainda pelo maravilhoso Jardim du Luxembourg, o local ideal para uma pausa ou para um piquenique na zona do lago, sendo que aos fins-de-semana (durante a primavera e verão) podem contar com música ao vivo no coreto do jardim. Para umas compras recomendo ainda as galerias comerciais do Le Bon Marché, que aliás vale a pena só pela visita, é um espaço lindíssimo e cheio de bom gosto.

#9 Versailles

Reservem um dia da vossa viagem para Versailles e preparem-se para um dia intensivo. O palácio está situado nos subúrbios de Paris e para lá chegar têm de apanhar metro e comboio RER linha C. A viagem dura cerca de 45 minutos, seguida de 5 minutos a pé até ao palácio. Aqui, devem dirigir-se à ala esquerda para comprarem o bilhete, que custa cerca de 18€ e dá acesso a todos os palácios (principal e os trianons) e jardins. Este monumento é gratuito para menores de 25 que sejam residentes na União Europeia, basta apresentar o Cartão do Cidadão na bilheteira. Encerra à 2ªfeira.

Na entrada procurem pelo mapa e pelo guia audio em português – será muito útil durante a visita. Versailles é de facto enorme, tanto que existe um mini comboio (não está incluído no bilhete, é pago à parte) que faz a ligação entre o Palácio principal, o Trianon e Petit Trianon. Se o dia convidar a isso, façam a longa caminhada entre palácios e aproveitem para admirar os jardins circundantes.

#10 Disneyland Paris

Comprámos o bilhete através da internet (na altura custou 57€, é provável que esteja mais caro)  para 1 dia com acesso ao parque principal. Tal como Versailles, a Eurodisney fica um pouco distante do centro de Paris. Para lá chegar apanhem o metro e o comboio RER linha A, a viagem dura cerca de 45 minutos. 

Algumas das atracções a não perder e que recomendo: Casa Assombrada, Molly Boat, Piratas das Caraíbas, Casa do Peter Pan, Chávenas e o Labirinto da Alice, It’s a Small World e a casa do Buzz. No entanto aconselho-vos alguma paciência, todas as atracções têm habitualmente filas extensas.
Por todo o lado encontram lojas de merchandise Disney, snacks e restaurantes com vários menus desde os 9.90€. Todos os dias, por volta das 17h podem contar com o desfile de carros e personagens Disney na avenida principal. Foi sem dúvida um dos dias mais divertidos de toda a viagem.