ROTEIRO LONDRES

Antes de Viajar

Roupa: ter atenção a altura do ano em que se vai. No meu caso, em Setembro as temperaturas rondavam os 18º de máxima e os 10º de mínima. Levei apenas um casaco de inverno porque as noites eram realmente frias. Durante o dia uma blusa de meia manga, mais um casaco ou blazer serviam perfeitamente. Recomendo também que levem lenços/ cachecol. Para quem vai a pensar fazer compras, aconselho a que levem o mínimo possível.
Não esquecer que em Londres as tomadas de electricidade são diferentes das nossas. Alguns hotéis dispõem de adaptadores mas o melhor é levarem logo na mala para evitarem gastos extra.


Avião e transportes
Viajei pela Easyjet para o aeroporto de Luton (ida) e Gatwick (volta). Ambos os aeroportos são organizados e dispõem de vários transportes para a cidade de Londres. No meu caso posso recomendar o autocarro Easybus que levou-nos até Victoria por cerca de 9 Libras e demorou cerca de 1 hora. O regresso para Gatwick foi feito através do Comboio Express Gatwick que podem apanhar em Victoria, e que parte de 15 em 15 minutos. O bilhete custa cerca de 18 Libras.

Dinheiro
Nem todos os bancos dispõem de libras na hora para poderem ser trocadas. O meu banco pedia uma semana de antecedência, por isso optei por levantar no Aeroporto de Luton, nas caixas automáticas.

Transportes em Londres
O sistema de transportes de Londres, é sem dúvida um dos melhores que já vi. O metro é organizado e facilmente chegamos aos principais pontos da cidade. Os autocarros são igualmente uma boa opção e permitem uma visita guiada pela cidade. Comprei o Oyster numa das estações de metro, e carreguei para 7 dias, zona 1 e 2. Este cartão dá livre acesso a metro, autocarro e comboio e custou cerca de 27 libras.
No final da estadia, devolvi o cartão e recuperei 5 libras ( devolvem o preço do cartão).

Hotel
Fiquei hospedada no Easyhotel Victoria (sugestão da blogger Ladylike), um hotel que pertence a cadeia Easyjet e como tal, é um hotel low cost. Fiquei no quarto mais pequeno, sem janela e com wc privativo. O preço ficou realmente em conta e o quarto apesar de muito pequeno é confortável e indicado para pequenas estadias ( mas confesso que senti muita falta de ter uma janela e um pouco mais de espaço). De qualquer forma recomendo o hotel e a zona Victoria, que fica bem pertinho do centro (tanto a pé como de transportes), e dispõe de terminal de autocarros, comboios e várias linhas de metro.

Onde comer
Um pouco por todo o lado encontram a cadeira de restaurantes Prêt, EAT e Costa que têm comida saudável e confeccionada no próprio dia a preços simpáticos. Gostei principalmente da Prêt e dei por mim a pensar porque não temos algo do género aqui em Portugal. Nestes restaurantes paga-se mais se quisermos sentar e comer no espaço. Podem sempre optar por levar e comer num dos muitos jardins da cidade. Se quiserem comer algo mais que comida rápida aconselho o restaurante Garfunkle’s e  onde comemos muito bem por menos de 10 libras.
Dica: Em Londres janta-se muito cedo e como tal os restaurantes fecham também muito cedo. Jantares por volta das 8h são aconselháveis.

Pret a Manger

Free Internet
Uma das melhores coisas da cidade é que temos internet em qualquer local. Os restaurantes têm quase todos wifi via The Cloud ( basta registarem-se e têm free wifi) ou FON ( que para quem não sabe funciona com o login da ZON FON Portugal).

Victoria

Gostei muito de ficar hospedada nesta zona da cidade, onde tinha acesso a todos os transportes ( comboio, metro e autocarros) e ficava bem perto do palácio de Buckingham. Podem visitar o interior do palácio nos meses em que os reis estão de férias. Calhou estar lá nessa altura ( que penso que sejam os meses de Verão) mas o tamanho das filas fez com que desistíssemos da ideia. No entanto fica a dica para os mais corajosos.
Jardins do Palácio

Camden Town
Aconselho um dia para conhecerem bem esta zona da cidade. Rapidamente acedem a este local seja por metro ou autocarro. A rua principal tem as lojinhas mais interessantes: American Apparel, H&M Divided ( tão bom), Office, Offspring, lojas vintage, etc. No fundo da rua, junto a Camden Lock têm as várias feirinhas onde podem encontrar de tudo um pouco e ainda várias casinhas com comida chinesa, pizzas, crepes, limonadas, etc.

Camdem

Covent Garden e Seven Dials
Esta foi uma das minhas zonas favoritas da cidade. Fomos a uma 5ªfeira e tivemos a sorte de ver o “Food Market” uma feira gourmet com várias iguarias a preços muitos acessíveis, onde acabamos por almoçar. A zona tem muitas lojas interessantes, como por exemplo a Tea House, onde podem provar os mais deliciosos chás e comprar alguns presentes. Seguimos para Seven Dials, sete ruas com mais lojinhas para visitar entre elas: American Apparel, Urban Outfitters, Shu Uemura, Vans, Volcom, Aldo, Rayban, etc.
Dica: Aconselho mesmo o mercado de quinta-feira, foi dos melhores mercados onde já estive.

Food Market em Covent Garden
Tea House em Covent Garden

 

Covent Garden










Loja Kate Kidson em Seven Dials

Piccadilly, Leicester Square e China Town
Estas três zonas são relativamente perto e fazem-se muito bem a pé. A praça de Leicester Square está em obras mas podem ver o grande Odeon, onde fazem as principais ante estreias dos filmes ( a última fez imenso furor por se tratar do último Harry Potter). Visitem aí a loja M&M’s que vale muito a pena. Têm todo o tipo de merchandise desde t-shirts a canecas, mil e uma cores de M&M’s para levarem para casa ou oferecerem.

Shopping Zone – Oxford Street, Regent Street e Carnaby Street
O meu aviso é sempre o mesmo… esta zona é muito perigosa para a carteira… aqui encontram as lojas mais interessantes, a começar pela mega Topshop/Topman (junto a saída de metro Oxford circus).
Lojas a visitar em Oxford Street: Topshop, Office, Urban Outfitters, New look, River Island, Primark, Forever 21, Selfridges.

Lojas a visitar em Carnaby Street: Vans, Benefit, Lazy Oaf, Lomography, Volcom, Drop Dead.
Lojas a visitar em Regent Street: Apple, Mango, COS, Lush, entre outras.

Dica: Evitem esta zona aos fins-de-semana. Nas lojas, se quiserem pagar com o cartão não se esqueçam que em cada pagamento é vos cobrada uma taxa. Para além disso optem sempre por pagar em libras, pois a conversão feitas pelas lojas é bastante mais elevada do que feita pelo próprio banco.

Carnaby Street
Loja Drop Dead em Carnaby Street

 

Oxford street

Notting Hill e Portobello Road
Optamos por conhecer esta zona da cidade numa sexta feira de manhã. Fomos até Notting Hill de Metro e caminhamos pelo bairro até chegarmos à rua que nos interessava, Portobello Road. É de facto uma zona muito bonita, cheia de casinhas, lojas vintage, e cafés. Na rua podemos encontrar bancas com velharias, jóias antigas e outros objectos. Aconselho-vos apenas a ter cuidado com as fotografias… alguns vendedores não são muito receptivos a essa questão. Sexta-feira e Sábado de manhã são os dias ideais para conhecerem esta zona, pois são os dias em que o mercado está em funcionamento.

Nothing Hill

London Bridge
Passeamos nesta zona e almoçamos no pub All Bar One, com uma vista fantástica sobre o Tamisa e a London Bridge. Os preços rondavam as 8 libras por prato e a comida era deliciosa. Se passearem por esta zona aconselho a visita a este Pub mesmo que seja apenas para beberem uma pint!

Big Ben e London Eye
Esta zona foi pouco explorada nesta viagem. Aproveitamos apenas para passear a noite e ver o Big Ben e o London Eye iluminados. Numa próxima viagem espero poder andar no London Eye e visitar o museu Madame Tussauds.

South Kensighton
Mais uma zona muito bonita de Londres, onde podem visitar alguns dos melhores museus da cidade com entrada livre. Optámos por visitar o Natural History Museum que valeu muito a pena, principalmente pela área dedicada aos dinossauros. Mesmo ao lado podem visitar o museu Victoria & Albert Museum. Nesta mesma rua têm as galerias Harrods, onde podem visitar as diferentes áreas desta zona comercial e comprar pequenas lembranças.

Harrods

Natural History Museum

Esta foi a minha primeira visita a Londres e como tal muito ficou para ver. Pode-se dizer que este é um mini roteiro mas espero poder melhorar este roteiro quando voltar a Londres… porque é uma cidade de regresso obrigatório! 🙂